Resenha

Resenha: Diário do Chaves

segunda-feira, novembro 02, 2015

Título: O Diário do Chaves
Autor (a): Roberto Gómez Bolaños
Gênero: Ficção / Infanto-Juvenil
Editora: Objetiva - Ponto de Leitura
Número de Páginas: 176
Ano de Publicação: 2010
Skoob: Adicione
Classificação: 5/5 ♥ 

Sinopse: Primeiro livro de ficção sobre o Chaves a ser lançado no Brasil, Diário do Chaves desvenda histórias nunca reveladas pelo personagem na série de TV, que há quase 20 anos vem alcançando altos índices de audiência no país. Seu Madruga, Kiko, Chiquinha e muitos outros estão presentes no livro. A obra traz ainda ilustrações feitas pelo próprio autor. Livro revela histórias inéditas do famoso personagem da série de TV, sucesso no Brasil há quase 20 anos. 'Escrito' pelo próprio Chaves, este livro traz uma coleção de pensamentos e situações envolvendo a turma do programa de TV: Seu Madruga, Kiko, Chiquinha e muitos outros marcam presença neste divertido diário.



RESENHA



O diário do Chaves é uma história de ficção escrito por Roberto Gómez Bolaños, o mesmo criador da séries Chaves e Chapolin Colorado, não apenas isso, Bolaños também interpretou os personagens criados por ele. 

O livro é diferente das passagens cômicas que assistimos no seriado da TV, aqui temos a visão do
Chavinho através de relatos do seu dia a dia e de uma representação mais emotiva e até dramática do que os momentos assistidos na telinha. 

Acompanhamos como era a vida de Chaves antes de chegar a famosa vila do Senhor Barriga, confesso que pela primeira vez após a leitura parei para refletir sobre  tais situações descritas no livro, afinal sempre rimos com os famosos personagens e poucas vezes paramos para pensar como seria a vida deles em outros momentos. 



Aqui Chespirito nos conta que antes de chegar a vila, Chaves, vivia com sua mãe, e que seu pai a abandonou logo que se relacionaram a primeira vez, talvez nem tivesse conhecimento da existência do Chaves, sempre para trabalhar a mulher o deixava em um creche e o buscava mais tarde, um dia ela simplesmente não foi busca-lo, e nos outros tampouco. 

Após o episódio Chaves passou a viver em um orfanato, ainda quando era muito pequeno, lá ele sofria maus-tratos da diretora que agredia as crianças fisicamente e os punia deixando sem comer por dias. 
 Por esse motivo Chaves tenta fugir do lugar, mas é pego e castigado. Um dia a própria diretora abre o portão e o deixa ir embora. 



Após sair do orfanato e sem rumo, Chaves, começa a andar pelas ruas e conhece alguns meninos
igual ele, meninos de rua, faz amizade por pouco tempo, depois o destino os separa. Nesse momento Chaves chega a vila onde vive. 


Lá, ele conhece uma senhora muito velhinha que o abriga em sua casa, a famosa casa de número 8, a senhora acaba se afeiçoando muito ao menino, pois segundo ela, Chaves é muito parecido com seu neto. Infelizmente a senhora acaba adoecendo e morrendo, outros inquilinos passam a viver na casa e Chaves acaba tendo que morar no patio da vila. 



O livro em si é muito bonito principalmente para quem é fã assim como eu, não tem nada semelhante ao que se vê na televisão, parece que lemos uma história emocionante de qualquer outro livro. 

A história toda é contada através de um homem que encontra o diário do Chaves, na verdade um caderno velho e sujo deixado pelo garoto em um banco de praça, nele consta o manuscrito de Chaves de passagens de sua vida, o homem se pressupõe ser o próprio Chespirito. 


O diário do garoto é composto por  histórias intercaladas, uma verdadeira mistura de relatos de seu cotidiano na vila, com todos os personagens fazendo parte das suas histórias. 


O livro também e composto por várias passagens históricas, na explicação da trama são explicações dadas pelo professor Girafales em suas aulas, também temos passagens politicas, característica marcante de Roberto em seus livros, quem os leu entenderá, o autor sempre faz menções relativas aos tema. Esse ponto da trama me pareceu um pouco confuso mesmo com tal explicação, afinal o Chaves que conhecemos não é um menino dotado da mais ampla inteligência. 

O livro também é recheado de ilustrações feitas pelo próprio autor, além disso no final temos as páginas intituladas histórico, escritas por Florinda Meza (Dona Florinda do seriado), nestas acompanhamos vários relatos reais das fabulosas apresentações de todo elenco do programa Chaves por diversos países. 


Achei a trama totalmente emocionante, acredito que não verei o Chaves da TV novamente com os mesmo olhos após essa leitura, me cativou muito, me comoveu saber que em tão pouco tempo o
pobre garoto passou por tanta coisa negativa, ainda assim permanece com brilho nos olhos e muita esperança de um amanhã melhor, uma verdadeira lição de amor e fé. 

Neste livro pude conhecer o lado mais íntimo desse garoto que conquistou gerações e ainda segue conquistando em grande parte do mundo, pude ver o lado humano ou talvez desumano de uma criança cheia de necessidades, a quem lhe falta tudo. Um livro muito bonito e diferente para qualquer leitor se apaixonar. 



























































Postagens Relacionadas

2 comentários

  1. <3 muito amor por esse livro! O meu chega essa semana, tinha um pouco de curiosidade, mas após ler a resenha fiquei fascinada! Ele valeria como biografia sendo ficção? Pensava em lê-lo no desafio literário, no mês de maio, um gênero que nunca li, creio eu que biografia é o único! Falta-me criatividade para pensar no momento!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ta aí, agora você me pegou, Luana, vale como biografia?
      Afinal é a biografia de um personagem, rsrsr.

      Excluir

Obrigado por comentar no blog!
Volte sempre!

Facebook

Twitter

Twitter