Resenha

Resenha: Joyland, Stephen King - Suma de Letras

domingo, janeiro 24, 2016


Título: Joyland
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Número de páginas: 240 
Gênero: Suspense/Ficção

            Sinopse: Carolina do Norte (EUA), 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer.
            Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado - e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria.
            O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.



Resenha


            Já me declarei fã do King, e sempre que posso estou com um dos livros dele e Joyland era um dos meus desejado há algum tempo. Joyland é um daqueles livros que te envolve aos poucos, que vai te introduzindo na história de forma suave e quando vemos estamos arrebatados por ele.



    No início o foco maior é no relacionamento terminado de Devin Jones, um universitário que resolve trabalhar em um parque de diversões no verão. Mas aos poucos isso vai ficando em segundo plano e vamos conhecendo a história de Linda Gray, uma jovem que foi assassina no parque e entramos suavemente na investigação da verdade por trás do assassino que nunca foi descoberto.


Além disso tudo, com pitadas de humor, ainda vemos como Dev supera o fim do relacionamento e amadurece, torna-se uma espécie de “herói” no parque, apesar de ser apenas um “faz-tudo”, dessa forma ele recupera seu amor próprio e após conhecer Mike não há sentimentos que resistam a esse garotinho! “(...) profunda, divertida, cheia de reviravoltas, despretensiosa e, por fim, arrasadoramente triste”, realmente no fim, o mestre King, acaba com nossos sentimentos.


            Recomendo a leitura, trata-se de um livro surpreendente (me enganou mais de uma vez) é bastante envolvente, confesso que mais envolvente das 100 primeiras páginas em diante, e também é um livro curto, para se ler em menos de uma semana. Ah! Não posso esquecer é o primeiro livro do Desafio Literário 2016 dO Amante de Livros, não encontrei nenhum livro na minha estante que começasse com a letra do meu nome e que eu ainda não tivesse lido, então o escolhido foi JoiLand!!!


                                                                        Boas Leituras!



Postagens Relacionadas

0 comentários

Obrigado por comentar no blog!
Volte sempre!

Facebook

Twitter

Twitter