Editora Tribo das Letras

Resenha: Uma Noite Apenas — Bya Campista — Editora Tribo das Letras

sexta-feira, maio 08, 2015

Adoro a escrita da autora Bya Campista desde que li seu Pele, só a capa já dava uma ideia do que seria seu livro, quando recebi Uma Noite Apenas da Tribo das Letras confesso que pensei: "Ok, livro hot". Mas nada me preparou pra alguns fatos: 1- nem todos livros hot's são iguais, 2- Odeio clichês, acho que eles devem ser um pouco esquecidos (já temos muito "mais do mesmo"), 3- adoro quando a a mocinha é independente e destemida e 4- amo quando as mocinhas são anti heroínas e donas de si. Dito isto, não poderia ter tido três noites mais emocionantes e animadas com as "peripécias" de Angelina Brooks.

Título: Uma noite Apenas
Autora: Bya Campista
Editora: Tribo das Letras
Número de Páginas: 476
Gênero: Érotico, Romance

Sinopse: Angelina Brooks não se prende a relacionamentos, vive um dia de cada vez. Felizes para sempre? Uma noite apenas é o suficiente, afinal, o que é uma mulher apaixonada se não um pé no saco? Angelina ama sua liberdade, sua casa, seu melhor amigo e seu uísque. Suas noites são festa, seu trabalho parte do seu DNA e sexo, o combustível que move sua vida.
Evan King ou simplesmente doutor King, é um renomado médico que vive para o trabalho. Solteiro por opção, apesar de amar desafios, tem uma vida sem grandes emoções, até o momento em que uma paciente extremamente irritante – e sexy - aparece em seu consultório.
O que poderiam ter esses dois em comum além da atração e do desejo incontroláveis que sentem pelo outro? Será que uma noite apenas seria o suficiente para satisfazê-los?



Primeiramente ri horrores com o linguajar da Angelina, as vezes você acha que é um homem falando (sem machismo); mulheres tem uma tendencia a romantizar as coisas, não Angelina, ela com certeza tem um modo bem peculiar de ver a vida, sexo e "relacionamento" homem X mulher:



A estória se desenvolve em Nova York, onde Angelina mora, filha de brasileiros se vê na situação mais difícil de sua vida, a descoberta da doença de sua mãe, que tem Doença de Huntington, muito bem desenvolvida na escrita da Bya. O pai de Angelina abandona mãe e filha, o que deixa em sua filha cicatrizes profundas acerca do amor e de relacionamentos amorosos. 
Dois orgasmos. Nada mal para uma noite, o cara até que não era tão ruim assim. Qual era mesmo o seu nome? Jake? Jave? Ja... alguma coisa, não me lembro. Foda-se! Nomes não são importantes, eles não trazem orgasmos.
 A vida de Angelina começa a mudar quando depois de um problema de saúde ela se vê obrigada a procurar o renomado Dr. Evan King, e aí seu mundo vira de ponta cabeça. 
“Puta merda! O que era aquilo? Vestido em seu jaleco branco, o homem devia ter quase quarenta anos, cerca de um metro e noventa, ombros largos e braços fortes. Seu cabelo era escuro, ligeiramente desalinhado e seus braços fortes. Seu cabelo era escuro, ligeiramente desalinhado e seus olhos, dois pedaços azuis que reluziam em minha direção. (...) Possuía mãos grandes e a esquerda agarrava um iPhone com tanta força, que senti meu ventre se contorcer com a imagem dela apertando minhas coxas. Engoli em seco.”
Uma estoria sobre se desfazer inúmeras vezes, sobre aprender a confiar, a se jogar de cabeça e a perceber que nem sempre a história se repete.

Postagens Relacionadas

0 comentários

Obrigado por comentar no blog!
Volte sempre!

Facebook

Twitter

Twitter