Falando Sobre Livros

Por que livros?

sexta-feira, fevereiro 27, 2015

     

           Não posso dizer, exatamente, desde que momento as palavras me rodeiam, mas lembro como fiz essa descoberta. Quando se é criança pobre, morando na área agrícola, longe de outras crianças não se tem muito o que fazer, apenas ir para a escola meio período, mas com essa mera socialização se construiu uma apaixonada por livros. A menina tímida descobriu o vasto mundo dentro de seu mundinho.

         Jamais chegarei a ter uma noção de quantos livros já li em minha vida, li diversas coleções infantis, muitos gibis, e ainda menininha coletâneas monumentais de poesia, com muitas palavras que eu sequer tinha noção do sentido. Muitas vezes fiz cara feia para os clássicos, mas, nem tanto tempo depois, os abracei e entendi o porquê de serem clássicos. Já amei livros bobamente românticos, de mistério, terror, investigação, aventura... Hoje não tenho um gênero favorito e nem aquele que eu dispense. Tento conhecer todos, tento abranger todo esse conhecimento numa pequena pessoa, em um curto espaço de tempo que nos dão como vida.

         Ainda muito nova percebi meu fascínio por esse mundo de palavras. Definitivamente fui um “rato de biblioteca”, a ponto de conhecer os livros melhor que os próprios bibliotecários de minha escola, percebendo de longe quando algum deles estava fora do lugar. Minhas escolhas sempre foram um tanto que aleatórias, uma capa chamativa, uma indicação da bibliotecária, um título... Mas um tipo de livro sempre me chamava, aqueles bem velhos, puídos, rasgados, de capa caindo... Isso mostrava que aqueles livros passaram por muitas mãos, era um indicativo de quão bom poderia ele ser, e, na maioria das vezes, realmente era!

         Hoje, algumas pessoas, dizem que tenho bom gosto para livros, mas acho que não depende apenas do livro ser bom, penso que é necessário que o leitor tente entender as entrelinhas e coloque suas próprias experiências na leitura para que esta se torne significativa. As palavras sempre me deram alento nos momentos mais difíceis, me deram o consolo para as lágrimas, me deram companhia, me deram segurança... Amo as palavras ditas, ouvidas, mas meu coração bate pelas palavras escritas, até porque é por elas que melhor me expresso e por elas que sou melhor entendida...  Muitas vezes, por não poder falar, a única coisa que eu podia fazer era escrever, escrever para que aquele mal saísse do meu coração e não me perturbasse mais, escrever para entender meus sentimentos, ou escrever apenas para escrever, para ver as palavras que eu era capaz de trazer comigo. Sou uma viciada em livros, uma compradora compulsiva. Li em alguma lugar a fala de alguém que dizia que gostava de estar rodeado de palavras, que isso lhe dava segurança, essa é a mesma sensação que tenho. Estar rodeada de livros me tranquiliza... Esse, certamente, é meu estado mais natural...

E ainda me perguntam: “Por que livros?”!

Quem me conhece sabe do meu maior desejo: viver de literatura, mas para não me limitar, afirmo: se não puder viver de FAZER literatura, viverei então de FALAR de literatura!


By: Luana dos Santos

Postagens Relacionadas

5 comentários

  1. Amei o texto, confesso que não sou muito fã de livro, gostaria de ser assim como você gostar de ler tanto assim, não vou mentir já çi alguns livros bem legais, mas outros bem chatos acho que por isso não sou muito fã de ler rsrrs.
    Um beijo

    blogthayseferreira.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Normal Thayse, sempre terá livros que você vai gostar mais e outros que gostará menos, mas você ainda vai descobrir o gosto pela leitura, apenas ainda não achou o livro que te fascinasse!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu não leio muito por preguiça mas quando pego um livro pra ler não consigo parar até terminar, igual quando vejo séries é um episódio atrás do outro hahaha

    Beijos http://iranabento.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Irana, quanto a preguiça de ler, não tenho esse problema, mas o não parar mais... vish! Com séries também, adoro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi Lua,

    Nossa adorei seu texto!!!

    Concordo plenamente quando vc coloca "... é necessário que o leitor tente entender as entrelinhas e coloque suas próprias experiências na leitura para que esta se torne significativa."

    Sempre procuro imaginar a situação e tirar algo como exemplo ou experiencia...

    Queria ter mais tempo pra ler. A leitura é uma atividade que pra mim é mais que um lazer!!!

    Um abração

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar no blog!
Volte sempre!

Facebook

Google Plus

Novidades Por E-mail

Arquivo do blog