Resenhas

Resenha: Onde terminam os arco-iris ou Simplesmente Acontece.

sábado, setembro 13, 2014



Onde terminam os arco-iris é um romance da  escritora Cecilia Ahern, a mesma autora de Ps: eu te amo, a edição que li é a de 2006, porém com o lançamento do filme previsto pra janeiro de 2015, lançaram uma nova edição com o nome de Simplesmente acontece, deixarei a ficha técnica dos dois.







Edição 1
Autora: Cecilia Ahern
Editora: Relume Dumara
Páginas: 384
I.S.B.N.: 8573164581

Sinopse: Um encantador romance sobre dois amigos de infância com quem o destino parece brincar. De crianças travessas a adolescentes rebeldes, Rosie e Alex uniram-se como unha e carne, mas a família de Alex se muda e eles se separam. A mágica conexão entre os dois acompanha os altos e baixos da vida de cada um, mas nenhum deles sabe se sua amizade conseguira sobreviver a distância. Mal-entendidos, circunstancias e a mais absoluta má sorte os mantiveram separados. Mas quando se virem diante da última oportunidade, apostarão tudo em nome do verdadeiro amor?



Edição: 2
Autora: Cecilia Ahern
Editora: Novo Conceito
Páginas: 448
ISBN: 9788581635453

Sinopse:O que acontece quando duas pessoas que foram feitas uma para outra simplesmente não conseguem ficar juntas? Todo mundo acha que Rosie e Alex nasceram para ser um casal. Todo mundo menos eles mesmos. Grandes amigos desde criança, eles se separaram na adolescência, quando Alex se mudou com sua família para os Estados Unidos. Os dois não conseguiram mais se encontrar, mas, através dos anos, a amizade foi mantida através de emails e cartas. Mesmo sofrendo com a distância, os dois aprenderam a viver um sem o outro. Só que o destino gosta de se divertir, e já mostrou que a história deles não termina assim, de maneira tão simples.







Resenha:


Para começar queria dizer que esse livro foi uma grande surpresa para mim, sem ler a sinopse, comecei a lê-lo e não conseguia mais parar.
Onde terminam os arco-iris  ou Simplesmente acontece, acompanha a vida dos amigos de infância Rosie e Alex,eles se tornam inseparáveis, confidentes e fazem tudo junto. 
Porém quando a família de Alex muda-se para Boston, e os planos de Rosie de se mudar após o termino do colégio não dão certo, eles se veem obrigados a arranjar um modo de manter a amizade inabalada mesmo morando em continentes diferentes. 
Durante os anos que se passam vemos o desenvolvimento, crescimento e amadurecimento das personagens, todas reviravoltas, medos, inseguranças, dúvidas, e a maneira que a autora usa para escrever a estoria faz com que nos sentimos mais próximos dos personagens. Cecilia faz a narração por meio de bilhetes, cartas, e-mails, chats, recortes de jornais o que trás um certo suspense e deixa o  livro mais dinâmico, pois muitas  vezes precisamos esperar a resposta de uma personagem para outra.
É um livro emocionante, e o que mais me cativou nele é o fato da autora não criar uma estória em que tudo da certo logo de cara para todos, pelo contrário Alex e Rose passam por muitas situações difíceis, é como se estivéssemos lendo as conversas de alguém próximo, as situações apresentadas poderiam acontecer com qualquer pessoa. 
Apesar do livro retratar o ponto de vista de diversas personagens, para mim, as passagens da Rosie são as mais inspiradoras, ela é uma mulher forte, mas que não consegue enxergar essa  força, em muitos pontos me identifiquei com ela, com sua visão de mundo e sofria junto cada vez que seus sonhos pareciam dar certo e não davam, o que me deixava muito irritada também. Rosie Dunne é uma das minhas personagens favoritas.
Recomendo muito a leitura desse livro, pois para mim ele não é só um romance bobinho, ele trás mensagens e reflexões muito boas. Quero muito compra-lo para grifar e anotar todas as passagens que me marcaram.


Trechos:


"Alex, você é um médico do coração. Conhece o coração literalmente por dentro e por fora — o que se pode fazer quando o coração de alguém está partido? Você tem algum remédio para isto?"


"Você recebeu uma mensagem de: KATIE.
Katie: Mãe, detesto os homens. 
Rosie: Parabéns, querida. Bem-vinda ao clube. Seu título de sócia está no correio. Estou tão orgulhosa deste momento que gostaria de ter uma câmera."

"Há algo profundamente inquietante no fato de ver os pais preocupados. Acho que é porque eles são supostamente os mais fortes, mas não é apenas isto. Quando crianças, as pessoas costumam usar ou pais como uma espécie de medida de quão ruim é uma situação. Quando caem no chão com força e não conseguem decidir se dói, olham para os pais. Se estes parecem preocupados e correm na direção delas, elas choram. Se eles riem e batem no chão dizendo "Chão malvado", então elas se erguem e prosseguem. Quando você descobre que está grávida e se sente atordoada com todas as emoções, olha para o rosto deles. Quando ambos, sua mãe e seu pai, a abraçam e lhe dizem que tudo ficará bem e que eles a apoiarão, você sabe que não é o fim do mundo. Mas dependendo dos pais, poderia ser quase isto.
Os pais são os barômetros das emoções para as crianças e isto possui um efeito dominó. Nunca vi minha mãe chorar tanto em toda a minha vida, o que me assustou e me fez chorar, o que assustou Katie e a fez chorar. Todos choramos juntos."


Trailer















Postagens Relacionadas

5 comentários

  1. Gostei da resenha e fiquei interessada em ler. Parabéns

    ResponderExcluir
  2. Obrigada parceiro... já publiquei na Estante da Ana.

    Bjs.

    www.estante-da-ana.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá queria ler o livro mas não sei qual das edições ler.

    Vi que a segunda edição tem mais paginas. Gostaria se saber se à diferenças entres as edições ou não?

    ResponderExcluir
  4. Não entendi, tem nomes diferentes só pq são edições diferentes???

    ResponderExcluir
  5. A diferença entre os livros fica apenas nas edições. A história é a mesma!

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar no blog!
Volte sempre!

Facebook

Google Plus

Novidades Por E-mail

Arquivo do blog