Resenhas

Resenha - Loucamente Sua - Rachel Gibson - Jardim Dos Livros

segunda-feira, setembro 08, 2014









Sinopse



De volta à sua cidadezinha Truly, em Idaho, EUA, a fim de atender ao funeral do seu padrasto Henry, a bela cabeleireira Delaney Shaw é surpreendida com uma cláusula do testamento dele: para receber a sua herança, ela deverá permanecer um ano inteiro na cidade e não ter “contato sexual” algum com o bad boy Nick Allegrezza, filho bastardo de Henry. Acontece que, dez anos antes, ela e Nick viveram uma paixão, e embora ele seja um mulherengo incorrigível, a proximidade de ambos reacende a antiga chama. 





Resenha




Loucamente Sua tem um prefácio clichê que pode ou não grada-lo, isso depende do seu gosto. Com a temática de romances complicados entre uma mocinha frágil e um mocinho bad boy temos o enredo perfeito neste livro, Delaney é filha única e por isso sua mãe sempre a mimou e também a sufocou muito,desde novinha sente -se completamente a merce das vontades de sua mãe de de seu padrasto Henry, que é prefeito da cidade de Truly e um sujeito bem de vida e muito autoritário, Henry é o tipo de homem que não aceita ser questionado, apenas obedecido. Henry é pai de Nick Allegrezza o filho com quem teve com uma mulher da cidade, coisa de um caso passageiro para Henry, quando a mulher apareceu e lhe contou que esperava um filho dele ele simplesmente não acreditou e dizia isso a cidade inteira e a quem quisesse ouvir, isso funcionou por anos até o menino crescer e ficar fisicamente muito parecido com o pai, mesmo assim Henry nunca reconheceu e nem tentou ao menos aproximar-se de Nick, o menino sempre foi rejeitado. Sua mãe, Benita, culpava a nova família de que Henry havia construído, ela odiava Delaney e sua mãe, principalmente Delaney, por achar que a menina  ganhava tudo o que era de direito de seu filho com Henry, Nick.

O tempo passou e eles cresceram e a convivência de conflitos, também deu espaço ao desejo que surgiu entre Delaney e Nick inevitávelmente. Algumas coisas acontecem na história e Delaney acaba saindo da cidade e indo cursar  a faculdade em algum lugar escolhido por seu padrasto, ela acaba vivendo sozinha e isso a torna uma mulher independe e confiante, tão confiante que resolve abandonar tudo, inclusive a faculdade, Henry tenta leva-la de volta  para casa, mas ele nada pode fazer já que Delaney é uma mulher feita e maior de idade, por sua recusa em voltar com ele ambos acabam tendo uma briga horrível e rompendo relações.


Com Henry e sua mãe longe, Delaney sente que realmente pode ser ela, que pode errar sem que ninguém a queira corrigir, que pode usar o que lhe vier a mente e principalmente ser a pessoa que quiser ser, ela acaba descobrindo a sua verdadeira vocação ser cabeleireira e  isso realmente a faz feliz, ela sabe que sua família não aprova, mais a essas alturas ela já não se importa.


Quando tudo parece fazer sentido e Delaney finalmente consegue ser e sentir-se livre  surge uma reviravolta e ela é obrigada a voltar para a cidadezinha do interior a qual saiu a 10 anos atrás, Delaney regressa para o velório de seu padrasto Henry e não pensa ficar muito tempo, porém como Henry mesmo depois de morto ainda mostra-se o nato controlador que sempre foi deixa disposto em seu testamento alguns de seus bens em nome de três pessoas, Delaney, Gwen sua esposa, e Nick seu filho bastardo. Lógico que Henry não partiria sem dispor sua última vontade e o tal testamento serviu de prova, no dia da leitura e com os presentes interessados foram expostas suas últimas vontades, Delaney ficaria com uma fortuna no valor de 3 milhões desde que passe um ano na cidade, ela não poderia passar os limites de Truly por um ano, alguns bens foram para Gwen e duas propriedades para Nick, e as condições que ele deveria cumprir eram talvez simples: ele e Delaney não poderiam ter relações sexuais durante um ano, caso um dos dois descumprisse alguma das vontades de Henry expostas no testamento cada um ficaria com a parte do outro.


Delaney não pensou aceitar, pelo menos não até ouvir o valor, 3 milhões de dólares e depois de um ano estaria liberta para comprar o que quisesse, acho que ela pode suportar um ano em Truly.

Delaney abre seu salão de beleza na cidadezinha em um salão que estava fechado a algum tempo na cidade, ela faz uma bela reforma e o deixa impecável. Lógico que ela não precisaria trabalhar, pois Henry havia deixado para ela um valor mensal para seus gastos pessoais até que pudesse receber sua parte da herança. Mais Delaney como era uma mulher independente preferiu conseguir suas coisas por si mesma.

Nick tinha seu escritório ao lado do salão de Delaney, e isso rende aos leitores muitos encontros e algumas cenas picantes do casal.


Essa é a primeira leitura de Rachel Gibson que eu faço, comprei esse livro após ler duas resenhas negativas sobre ele, sim eu sou teimosa ;) .... As resenhas diziam que não gostaram do livro justamente pelo casal principal, por ambos não poderem ter um dialogo adulto e viverem em pé de guerra. E adivinhem, eu comprei justamente por isso, eu adoro casais que brigam o tempo todo depois fazem as pazes e brigam novamente, como disse, eu gosto de clichês.

Sobre o livro posso dizer que tiveram momentos maçantes e que tornaram a história um pouco monótona ao meu ver, por exemplo os excessos de detalhes desnecessário como por exemplo: a cor da roupa da velinha que era cliente de Delaney no salão de beleza, ou as constantes marcas Americanas que não nos fazem sentido algum, ou as referências excessivas de programas ou algo que tinha que se explicado no final da folha. Lógico que eu gosto de pegar um livro e ter descrições detalhadas de cenários e que condizem com a história, porém algo realmente relevante não a cor da roupa da velhinha que vai no salão de cabeleireiro de Delaney ou quantos cubos de gele eles colocam na bebida, ou ainda as marcas das calças que o mocinho usa, sinceramente para mim isso foi cansativo.

Eu como leitora enxugaria o livro em 70 %, tiraria esses detalhes sem importância da história e focaria mais no casal principal, muitas das cenas que vemos dos protagonistas da história são lembranças do passado, ou seja momentos vividos na infância e adolescência deles o que me pareceu um pouco bobinho, sabe aqueles romances garota e garota de 15 -16 anos que lemos, então assim. O livro não é bobinho devido as cenas eróticas que  o englobam, porém também não é nada que vá assustar qualquer adulto amante do gênero. A parte que para mim realmente começou a ficar interessante foi a partir do capítulo 15 em diante, onde a história realmente começou a desenvolver-se da maneira esperada, algo mais direto e focado na história dos mocinhos nos tempos atuais. Desse ponto em diante eu realmente a história melhorou muito.

A narrativa da autora é boa e o texto dessa história é narrado em terceira pessoa, eu particularmente não gosto muito de romance em terceira pessoa, mais esse não foi tão ruim, eu até gostei. Os mocinhos são engraçados e dóceis ao mesmo tempo, mesmo faltando um diálogo mais direto e adulto entre eles no decorrer da história eu gostei da obra e recomendo, porém já estejam preparados para os pontos que pautei acima : detalhes, detalhes e detalhes.... Notei que esse ultimo livro lançado por aqui da Rachel Gibson Maluca Por Você é bem menor, cerca de cento e poucas páginas e acredito que seja com menos detalhes insignificantes e talvez possa vir a gostar mais do que este aqui, eu gostei da premissa clichê e do romance criado pela autora, a única coisa que realmente me incomodou foram os excessivos detalhes desnecessários.

Dos personagens, Nick me pareceu mais imaturo e que apesar de toda a pose de bad boy não conseguir expor seus sentimentos para Delaney e por isso a magoava antes de ser magoado.

No mais estejam preparados para uma história envolvente e detalhista, e não esperem amores arrebatadores e brigas seguidas de beijos e reconciliações espetaculares. Senti falta dessa informação nos lugares que li.





























Postagens Relacionadas

0 comentários

Obrigado por comentar no blog!
Volte sempre!

Facebook

Google Plus

Novidades Por E-mail

Arquivo do blog