Resenhas

Resenha: Azul da cor do mar – Marina Carvalho - Novo Conceito

quarta-feira, julho 16, 2014






Sinopse



ACASO, DESTINO ou LOUCURA? No caso de Rafaela, Pode ser tudo isso junto. Para alguém como ela, nada é impossível. Rafaela sonha desde a adolescência com o garoto que viu uma vez, perto do mar, carregando uma mochila xadrez... A ideia fixa não a impediu, porém, de ser uma menina alegre e muito decidida. Ela quer ser jornalista, e seu sonho está se concretizando:Rafaela Vilas Boas (um nome tão imponente para alguém tão desajeitado)conseguiu um estágio no melhor jornal de Minas Gerais. Mas, como estamos falando de Rafa, alguma coisa tinha que dar errado. O jornal é mesmo incrível,mas seu colega de trabalho, Bernardo, não é a pessoa mais simpática do Mundo. Em meio a reportagens arriscadas-e alguns tropeços -, Bernardo acaba percebendo, contra a sua vontade, que Rafaela leva jeito para a coisa...E que eles formam uma dupla de tirar o fôlego. Mas e a mochila? E o garoto, o envelope, as cartas? Um dia a estabanada Rafaela vai ter que se libertar dessa obsessão.



Resenha



Como conheci Marina? Bem numa das minhas viagens a livraria estava na minha busca por Perdida da Carina Rissi (que na época não encontrava pois ela havia mudado de editora e o livro só teve uma edição na primeira editora).Mas voltando a Marina, olhando os livros vi a capa de um certo livro com uma moça sentada no meio de uma paisagem linda com um vestido de princesa. Foi aí que conheci e me apaixonei por Simplesmente Ana, me encantei na hora e quando li a sinopse tive a certeza que tinha de ter aquele livro. E aí conheci uma autora que passei a acompanhar e gostar muito, a Marina Carvalho.Li Simplesmente Ana, me apaixonei (fiquei louca quando a Marina disse que ia ser uma trilogia, mas isto fica pra outra oportunidade). Quando vi a Marina anunciando Azul da cor do Mar no facebook, logo pensei duas coisas: 1º tenho que ler mais este livro da Marina e 2º será que tem alguma coisa haver com a música Todo azul do mar do Flávio Venturine. Sem mais delongas, quando li Azul da cor do Mar, fui transportada para a atmosfera da Marina,um livro lindo,suave, com nuances que fazem a gente hora amar Rafaela (nossa heroína),hora querer esganar pela sua loucura misturada com estabanamento. A sinopse de Azul da cor do mar começa com uma pergunta: Acaso,Destino ou Loucura? Eu respondo, tudo junto e bem misturado. Rafaela conheceu um garoto,em uma de suas viagens de férias na casa dos avós,conhece,bem conhece é exagero, vê o garoto que se tornaria sua obsessão, o garoto dos seus sonhos, o que Rafa sabe sobre ele? Praticamente nada:



“Como ele estava sempre com a cabeça enterrada num boné, eu não conseguia enxergar seu rosto. Tudo o que via era um corpo magro, normalmente enfiado numa bermuda larga e numa camiseta sem manga, e mechas de cabelo castanho-claro escapando do boné. Ah! E uma mochila xadrez pendurada nos ombros”.



Sim, você deve estar pensando, esta menina é louca se apaixonar por um rapaz que mal viu, nem se pode chamar isto de amor a primeira vista se eles nunca nem ficaram frente a frente. Mas aí é que tá uma das graças da estória. Rafa perde o garoto de vista e nunca mais o vê, todos os anos quando vai passar suas férias procura por ele, mas nunca mais o vê. Enquanto cresce, Rafa catalisa e alimenta sua obsessão pelo garoto escrevendo um diário. Rafa realiza seu sonho de virar jornalista.



“Pelo jeito eu estava prestes a entrar para o seleto grupo de sortudos. Isso porque me dediquei demais para conseguir a vaga de estagiária, a que quase todos os meus colegas de sétimo período de Jornalismo da PUC-Minas também se candidataram. Se obtive êxito, foi porque sou uma aluna exemplar. Não durmo no ponto nem empurro curso com a barriga”.



 Sim nossa heroína é assim, determinada e estabanada em igual proporção. Só que o seu grande sonho pode virar pesadelo por causa de Bernardo, sujeito competitivo e arrogante que deveria ser seu tutor mas prefere infernizar a sua vida. 

“- A Rafaela vai fazer um estágio na Folha, mais especificamente na sua editora”. (...) – Sei. – Ele balançou a cabeça. – Estamos mesmo precisando de alguém para servir o cafezinho”. 

Lá também Rafa conhece Marcelo, loiro, olhos azuis; uma balsamo para ambiente nada acolhedor que Bernardo havia criado. E é aí que desenrola a estorinha de nossa amiga Rafa, no emprego dos sonhos, trabalhando diretamente com um carrasco (Bernardo), mas também com o gatinho do Marcelo; sem esquecer do diário que a Rafaela ainda mantem, escrevendo sobre o garoto da bolsa xadrez que nunca mais viu. E é neste ambiente engraçado que Marina Carvalho nos conduz a uma estória cheia leveza, passagem engraçadas e as atrapalhações da nossa Rafa. Ah, detalhe este livro, me atrevo a dizer Marina emprestou mais de si do que em Simplesmente Ana e Ela é uma fera, pois igualmente a sua heroína Marina é jornalista; cada capitulo do seu Azul da cor do mar começa com uma citação, uma dica de como o bom jornalista deve proceder.
  Sim voltando a parte de como eu conheci Marina (não fisicamente, ainda não tive este prazer, mas literariamente); posso dizer que esta minha passagem combina muito com a ideia do livro, que é se permitir, correr atrás, e abrir espaço para outras pessoas. Fui atrás de Carina e conheci Marina e desde então acompanho esta autora mineira que escreve livros fofos e engraçados. Um bálsamo pra quem procura leitura inteligente, desenvolta e leve. 





















Postagens Relacionadas

3 comentários

  1. Aí ameeeeeeeeeei ler este livro, super recomendo !!!

    ResponderExcluir
  2. Amei a resenha e agora vou ter que ler o livro!! Beijos moçoila!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bligadinha moçoila, pois leia que super vale a pena

      Excluir

Obrigado por comentar no blog!
Volte sempre!

Facebook

Google Plus

Novidades Por E-mail

Arquivo do blog