Coluna: A Raposa PP indica

[Raposa PP indica] O menino do dedo verde - Maurice Druon

segunda-feira, maio 30, 2016

Oi galerinha quanto tempo!!!

Hoje trago aqui meu número um no meu ranking de livros preferidos, o ranking dos infantis, calma, acho mais fácil fazer o ranking por estilo, porque como leitora assídua e voraz não dá só um, né?! Tanto que meu primeiro lugar do meu ranking de livros infantis é repartido por dois livros, meus queridinhos, porque não consigo escolher um dos dois, O Pequeno Príncipe, que já resenhei aqui (Link aqui). E agora trago meu outro queridinho do primeiro lugar, O Menino do dedo verde; que comumente é atribuído a Antonie Saint-Exupéry, escritor de O Pequeno Príncipe, vamos lá conferir essa linda estória?


Era uma vez Tistu... Um menino diferente de todo mundo. Com uma vidinha inteiramente sua, o pequeno de olhos azuis e cabelos loiros deixava impressões digitais que suscitavam o reverdecimento e a alegria. As proezas de seu dedo verde eram originais e um segredo entre ele e o velho jardineiro, Bigode, para quem seu polegar era invisível e seu talento, oculto, um dom do céu. Até o final surpreendente e singelo. "O Menino do Dedo Verde", de Maurice Druon, tornou-se um clássico da literatura para crianças e jovens em todo o mundo e permanece atual há três décadas, sendo adotado em escolas do Ensino Fundamental todos os anos. Esta fábula trata de questões relacionadas com os conceitos de convívio social, ética e cidadania; e foi pioneira ao abordar o tema ecologia.

O livro "O Menino do Dedo Verde" é um livro infantil que as "crianças" de todas as idades podem ler, pois ele leva a grandes reflexões sobre a vida, tomadas de decisão, pré-conceitos, para onde ir. O que mais me encanta em OMDV é a simplicidade da estória, como Maurice traz em poucas palavras um estória cheia de beleza e analises da vida humana. 


OMDV conta a história de Tistu. Um menino fofo e inteligente de 8 anos, que mora na cidade de Mirapólvora e é filho de um fabricante de canhões. Tistu descobriu que era diferente das outras crianças e por isso foi mandado embora, por ser "diferente", por não se enquadrar nos "moldes" da sociedade. Por não se adaptar a escola, seus pais decidem que ele deve ter aula em casa enquanto "melhora", para aprender e no futuro assumir os negócios da família. Ele acabou descobrindo o seu "dedo verde", o seu dom, aquilo que realmente o tornava feliz e passou a fazer o que podia para melhor utilizá-lo. Para melhorar o mundo e torná-lo mais belo. 


Mas como se adequar, como agradar aos pais e ao mesmo tempo não fugir do que acredita? Ser diferente é tão ruim assim? E porque o mundo tem que ser feio e cinza se ele pode ser belo e colorido? Esses são os questionamentos que o jovem e sábio Tistu vai ter que descobrir e responder. 


Com uma prosa totalmente simples e ao mesmo tempo envolvente, Maurice Druon (comumente confundido com o escritor de O Pequeno Príncipe, pelo estilo de sua escrita) nos conduz a grandes reflexões, é uma livro que recomendo ler (e reler) em qualquer idade. 




Sobre o Autor

Em 1948, Druon recebeu Prêmio Goncourt por seu romance “As Grandes Famílias”. Entre 1955 e 1960, ele criou a série “Os Reis Malditos”, traduzida para vários idiomas. Mas o escritor tornou-se mundialmente célebre por sua única obra infanto-juvenil “O menino do dedo verde”, publicada em 1957. Em 1966 tornou-se titular da Academia Francesa de Letras e ocupou o cargo de secretário perpétuo dessa instituição de 1985 a 1999. Foi também Ministro da Cultura durante o governo do presidente Georges Pompidou, de 1973 a 1974. Skoob.


Postagens Relacionadas

0 comentários

Obrigado por comentar no blog!
Volte sempre!

Facebook

Twitter

Twitter