Editora Tribo das Letras

[Resenha] Estrelas Cadentes (Não Dizem Adeus) - Tribo das Letras

quarta-feira, janeiro 27, 2016

Oiiiiiiiii galerinha!!!

Como estão? Espero que bem!! Hoje vamos de resenha, quentinha de um livro que li este fim de semana, do sábado para o domingo, leitura fluente e gostosa. A minha resenha e dica de leitura de hoje é o livro da nossa editora parceira a Tribo das Letras, Estrelas Cadentes (Não Dizem Adeus). Vamos lá? 

Sinopse:

Emily é uma jovem de 23 anos, professora de história, que mora com seus pais e seu irmão caçula, Jason. Tudo seria perfeito em sua vida se não houvesse um pequeno detalhe: ela é cega. Mesmo assim, tornou-se uma garota independente, que em meio as dificuldades conseguiu superar o fato de não enxergar e leva uma vida normal. 
Porém, Emily ainda possui dificuldade em conseguir manter seus relacionamentos amorosos, devido aos preconceitos em relação a se envolver com homens que se diferenciem de seu estilo de vida. Mas o destino colocará Mathew no seu caminho, seu mais novo vizinho: jovem, bonito, com sede de viver. 
Com 21 anos, Matt adora andar em sua moto, tem uma tatuagem que toma todo o seu braço, e acaba de se encantar pela beleza rara de Ems. 
Ela é tudo que ele sempre quis, ele é o oposto de tudo que ela sempre imaginou querer. 
Um romance divertido, com pitadas de humor e um pouco de drama. Uma grande lição de vida, mostrando em seu contexto as dificuldades de se viver em uma sociedade que não está preparada para abraçar as pessoas com deficiência.
“Estrelas cadentes não dizem adeus" traz uma história envolvente, narrada sobre o ponto de vista da própria protagonista, com um final surpreendente, capaz de fazer você se emocionar, torcer e chorar.

Nota da Colunista:
Se prepare para chorar... se prepare para se emocionar...
Bem o que primeiro me interessou nessa estória foi antes de tudo a capa linda, meio uma aurora boreal com uma chuva de meteoritos (viajei), segundo foi o fato de Emily ser professora assim como eu, e por último a sinopse, que já diz muito sobre a estória.


Quando comecei a leitura de Estrelas Cadentes ou ECNDA, já percebi logo no inicio que se tratava de um livro que não quer só contar uma estória, mas traz uma "moral da estória" de forma subliminar durante todo livro, uma mensagem de "nós somos aquilo que escolhemos ser". Emily não leva uma vida de lamentação ou limitação, lógico que na sua condição de cega ela poderia levar uma vida "amargando" a sua "limitação" mas não foi isso que ela fez, ela escolheu viver.

Emily leva a vida de forma independente, é uma querida professora de História, e o fato de ser cega não faz dela uma pessoa medrosa, pelo contrário, ela tem seus amigos e relacionamentos, que sempre acabam por causa do preconceito com a sua condição e do seu próprio preconceito em relação a escolhas de parceiros. Mas tudo vem abaixo quando um novo vizinho chega a sua rua.

Matt é o total oposto de Emily, e tudo o que ela repele num homem, mais jovem, bonitão, tatuado, no melhor estilo "destemido" ou "vivendo a vida adoidado"; o problema é que Matt fica encantado com a beleza de Emily, sua desenvoltura e personalidade, bem diferente das mulheres com quem costuma se envolver. E é aí que começa a batalha de ambos os lados para tentar se entender, e acima de tudo se aceitar. Com um enredo bem desenvolto, ECNDA conta uma estória de amor, se permitir e aceitar que as vezes os planos que fazemos para nós nem sempre ocorro como e quando planejamos. 

Onde encontrar:

- Estrelas Cadentes (Não Dizem Adeus)

- Veja também outros títulos da Tribo das Letras

Livro no Skoob

Postagens Relacionadas

0 comentários

Obrigado por comentar no blog!
Volte sempre!

Facebook

Google Plus

Novidades Por E-mail

Arquivo do blog