Coluna: A Raposa PP indica

A Raposa PP indica: O Pequeno Príncipe

sábado, junho 06, 2015




Como leitora sempre tive necessidade de fazer associações aquilo que lia.
Como leitora desde criança sempre gostei de ler livros com temas diversos, não só os infantis...
Como leitora adulta mantenho uma alma pueril, sempre lendo também livros infantis, daí a ideia de fazer uma coluna sobre livros infantis e infanto-juvenis, para pessoas que assim como eu mantem a criança dentro de si ativa. O nome da coluna é uma homenagem a um dos meus livros infantis preferidos, O Pequeno Príncipe, a quem carinhosamente trato por PP, com eu sou Rosa, e um dos amigos do Príncipe é a raposa, nada mais justo que a coluna se chamar: A Raposa PP indica. E "despretensiosamente" a escolha pra primeira dica da coluna, elegi O Pequeno Príncipe, livro atemporal, que voltou com uma versão de luxo lindíssima.














Sinopse:

O Pequeno Príncipe - Um piloto cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. E ali, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida. Com essa história mágica, sensível, comovente, às vezes triste, e só aparentemente infantil, o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry criou há 70 anos um dos maiores clássicos da literatura universal. Não há adulto que não se comova ao se lembrar de quando o leu quando criança. Trata-se da maior obra existencialista do século XX, segundo Martin Heidegger. Livro mais traduzido da história, depois do Alcorão e da Bíblia, ele agora chega ao Brasil em nova edição, completa, com a tradução de Frei Betto e enriquecida com um caderno ilustrado sobre a obra e a curta e trágica vida do autor.

Antoine de Saint-Exupéry tornou-se "célebre" por sua obra infantil O Pequeno Príncipe que passou a ser o livro mais traduzido no mundo, depois da Bíblia e do Alcorão. A obra é um livro simples, cheio de gravuras feitas pelo próprio autor.
A obra inteiramente metafórica e simbolista, podemos dizer que até de certo modo auto biográfica, já que Antoine inspirou-se em sua própria vida para escrevê-la, partiu de um desenho feito em uma de suas muitas viagem, e deste simples desenho surgiu uma das mais lindas obras do mundo.
A edição de luxo é um boa dica para presentear, ou para quem assim como eu é fã da obra, o livro é capa dura, cheio de efeitos, arabescos, mudanças das fontes e cores das letras, afora uma breve biografia do autor, no final do livro que explica as tais simbologias mencionadas acima, como a rosa melhor amiga do príncipe, era uma analogia a esposa de Antoine, as estrelas que remetem ao nazismo, e a morte precoce do autor em um acidente de avião pouco tempo depois do lançamento de sua maior obra Le Petit Prince (O Pequeno Príncipe).



                                                Quotes preferidos:

"Todas as pessoas grandes foram um dia crianças, mas poucos se lembram disso"
"Fiz mal em envelhecer. Foi uma pena. Eu era tão feliz em criança."
"Aqueles que passam por nós não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós."
"A perfeição não é alcançada quando não há mais nada a ser incluído, mas sim quando não há mais nada a ser retirado."
"Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos."
"A grandeza da oração reside principalmente no fato de não ter resposta, do que resulta que essa troca não inclui qualquer espécie de comércio." 

Minha Raposa e meu livro. 





Postagens Relacionadas

0 comentários

Obrigado por comentar no blog!
Volte sempre!

Facebook

Twitter

Twitter