Editora Tribo das Letras

Entrevista com Mirella Maya, autora de Envolva - me.

terça-feira, março 10, 2015

A Editora Tribo das Letras vem com mais um grande sucesso em 2015, o livro Envolva-me da autora estreante, Mirella Liana Maya, formada em Letras, 35 anos, casada e mãe de 2 meninas. Com um enrendo rico e "envolvente", Mirella já se consolida como uma grande promessa na literatura nacional. Segue uma entrevista feita com a autora.


1- Mirella como surgiu a ideia de escrever?

R: Para ser sincera, eu tenho muita dificuldade para escrever, para mim é difícil colocar as ideias no papel por que sou crítica demais com as letras. Eu gosto de histórias, histórias de vida, do cotidiano, história da vizinha ou mesmo aquelas história que as avós costumam contar. Eu tenho centenas delas na minha cabeça, portanto a última coisa que faço é escrever, normalmente, crio um enredo, fico narrando igual uma louca para o gravador de voz do celular e um fone no ouvido para pensarem que estou falando ao telefone, (isso quando estou na rua) e por último passo para o papel.



2- Quem são seus ídolos na literatura?

R: Ler eu gosto! Gosto muito, tenho tantos ídolos. ( risos). Os clássicos, Jane Austin, Emily Brontë, Shakespeare, Patrick Süskind, amo a simplicidade de Cora Coralina e a irreverência de Clarice Lispector, também gosto de Nora Roberts, atualmente estou apaixonada por Saramago e Kinsella. Caim, está sendo meu livro de cabeceira.


3- Você era uma criança leitora ou foi algo que surgiu com o tempo?

R: Eu sempre gostei de ler, fui incentivada desde a infância. Comecei com a série Vagalume. Será que ainda comercializam?



4- Um lugar pra ler/escrever?

R: Em qualquer lugar, em qualquer tempo para ambos. Eu me desligo de tudo.



5- Como surgiu a ideia de Envolva-me?

R: Envolva-me ficou anos guardado e fui obrigada e reformular. 50% baseado em fatos reais de pessoas à minha volta. Inicialmente eu queria falar sobre drogas e dependência química, rejeição, e o quanto é difícil para a pessoa que entra nessa “viajem” se libertar, conquistar a confiança do próximo e principalmente reconquistar a própria confiança e auto estima, mas percebi que seria um tema pesado demais, então resolvi partir para o lado sentimental. Bia é uma pessoa que não tem a confiança de ninguém, nem ela confia ou acredita em si mesma devido a rejeição. E Nando é um cara, simples, o que ele mais valoriza na vida é a palavra. Não queria que ele fosse um Alpha, CEO, dominador, milionário ou prepotente, eu precisava de um homem real, desses que você encontra na rua, no ônibus, indo para o trabalho, que bebê cerveja, come na feira e que te ganha com um sorriso.


6- Se você pudesse escolher uma música para Envolva-me qual seria?

R: The Lumineers - Ho Hey



7- Se Envolva-me virasse filme, quem faria Bia, Nando, Gabi, Ivete?

R: Bia : Hayden Panettiere,
Nando: Josh Duhamel
Gabi: Ainda estou entre Isis Valverde e Lea Michele.
Ivete: Não consigo achar um avatar para ela. Acredite ela existe e mora na rua de cima. (será que se mandar uma foto dela serei processada?) risos.


8- Você já tem novos livros escritos?
R: Sim, mas estão em fase de digitação. Um tem como locação as comunidades cariocas. O outro fala sobre não ter nada, quando se tem tudo. (explicação vaga, espero que entenda)




9- O que a Mirella leitora procura num livro?

Conteúdo, distração, emoção.



10- Qual sua opinião sobre a literatura nacional?

R: Acho que tem muita gente boa por ai esperando para ser descoberta. Que as editoras, agentes, mídia e principalmente leitores preconceituosos, deveriam começar a olhar o tanto de independentes que estão fazendo sucesso sem atravessar o caminho de ninguém. Que a literatura nacional evoluiu muito. Que poderiam começar a exportar invés de importar. Que os romances nacionais também podem virar filmes invés de novelas. Fico triste ao ver que algumas editoras só fecham com autores ao perceber que alcançaram um certo número de vendas na plataforma de auto publicação, ou que tem milhares de seguidores nas redes sociais, invés de abrirem os e-mails e avaliarem os originais super “originais” que estão lá. Sem contar às editoras que cobram quantias exorbitantes para publicar. Uma chegou a me cobrar quase o valor de um terreno na praia.
“Sim! Mundo! Nós temos a Amazônia, Carnaval, bananas e excelentes autores! Prestem mais atenção!”



11- Você acha que as redes sociais ajudam ou atrapalham na divulgação da literatura?

R: Atualmente a maior fonte de informação sobre livros que temos é nas redes sociais, você não vê a propaganda de um autor que está começando nas principais revistas e jornais, em compensação fazem comercial de um famoso livro/filme pseudo BSDM internacional ( Sem criticas ao CEO eu também li.). Pra falar a verdade é até raro obter informações sobre literatura na mídia audiovisual. Eu gostaria de ver um comercial sobre um livro do Eduardo Spohr na televisão ou da Carina Rissi. Sei lá! O brasileiro comum que gosta de ler só tem as redes sociais para se informar e autores independentes ou iniciantes dependem 100% dela para divulgarem seus trabalhos. Aplausos para os blogueiros e leitoras que se propõe a divulgar.


12- Mirella X Mirella

Comum! Na casa dos trinta ainda é tímida, fala pouco, pensa muito, e acredita que o sol é para todos independente do polo geográfico. Anda descalça, mora no mar, não canta no chuveiro, lê no banheiro, troca vinho por cerveja, e baladas por sessões de filmes.

Postagens Relacionadas

0 comentários

Obrigado por comentar no blog!
Volte sempre!

Facebook

Google Plus

Novidades Por E-mail

Arquivo do blog