Chick Lit

Resenha: O Projeto Rosie

segunda-feira, julho 28, 2014

Foto por: Karen Salerno.






Titulo: O Projeto Rosie
Autor:  Graeme Simsion
Páginas: 320
Editora: Record
ISBN: 9788501402219




Sinopse

Para se ter a vida de Don Tillman, não é preciso muito esforço. Às terças-feiras come-se lagosta com salada de wasabi (seguindo um roteiro com refeições padronizadas que evitam o desperdício de ingredientes e de tempo no preparo); todos os compromissos são executados de acordo com o cronograma – alguns minutos reservados para a prática do aikido e do caratê antes de dormir; uma hora para limpar o banheiro; três dias da semana reservados para suas idas à feira – e se, apesar dessa programação, algum desagradável contratempo surgir em sua rotina, não há nada que não possa ser solucionado com meia hora de pesquisa científica.
Exceto as mulheres.
Até o momento, a única coisa não esclarecida pelos estudos no campo de atuação de Don, a genética, é o motivo para sua incapacidade de arrumar uma esposa. Uma namorada ao menos? Ou até mesmo uma amiga para somar ao seleto grupo de amigos de Don, formado por Gene, também professor na universidade, e a mulher dele, Claudia, psicóloga e esposa muito compreensiva.
Para solucionar esse problema do modo mais eficaz, Don desenvolve o Projeto Esposa, um questionário meticuloso que irá ajudá-lo a filtrar candidatas inadequadas a seu estilo de vida: fumantes JAMAIS, e mulheres que se atrasam por mais de cinco minutos ou que usam muita maquiagem estão fora dos critérios pouco flexíveis que o levarão à mulher ideal.
O único problema é que um questionário desse tipo exige tempo e dedicação, duas coisas que começaram a diminuir exponencialmente no cotidiano de Don desde que ele conheceu Rosie: fumante, vegetariana e incapaz de chegar na hora marcada. Ou esse era o único problema até Rosie entrar na vida de Don e – despretensiosamente, uma vez que ela nunca se candidatou ao Projeto Esposa – mostrá-lo que a mulher ideal não existe, mas o amor, sim.


Resenha


Bom lá vou eu fazer essa postagem novamente, sei lá o que aconteceu que a postagem anterior sumiu :S
Quando li a sinopse desse livro, me interessei muito porque achei que a estória me faria dar algumas boas risadas e acertei, pois como não rir das situações que Don começar a viver quando Rosie passa a fazer parte de seu pequeno circulo de amigos? A estória pode ser um tanto clichê, mas nem por isso deixa de ser boa.
Don um geneticista de 39 anos, que sabe e aceita, como ele mesmo diz, que seu cérebro não foi programado para sentir emoções, o que pode indicar que ele seja autista em grau leve, nos mostra como é importante aceitar o que as outras pessoas e nós mesmos somos.
Ao conhecer Rosie ele logo a descarta como pretendente a esposa, por ela ser completamente inadequada aos requisitos impostos por ele, e mesmo querendo se afastar dela Don não consegue, e a cada dia ele se vê mais envolvido com Rosie mesmo sem entender porque.
No decorrer da narração descobrimos mais sobre o passado de Don, suas relações familiares e socias, também descobrimos sobre a vida de Rosie, Gene e Claudia, casal de amigos de Don, e como as aparências enganam.

A narrativa do livro é leve o que faz a leitura fluir com facilidade, a diagramação é boa, e a capa é uma das mais lindas que já e trás referências a trechos da estória. Esse é um livro gostoso de se ler naqueles dias que você quer relaxar.

Booktrailer


Trechos:

– Gene me mandou a mulher mais incompatível do mundo. Uma garçonete. Atrasada, vegetariana, desorganizada, irracional, nada saudável, fumante – fumante! –, com problemas psicológicos, que não sabe cozinhar, é matematicamente incompetente, com uma cor de cabelo artificial. Acho que ele estava fazendo uma brincadeira comigo.
 Pág. 76

-Don me parece legal.
Excelente. Eu estava indo bem.-É só um amigo - disse Rosie.Se ela soubesse quantos amigos eu tenho, talvez tivesse se dado conta do grande elogio que havia me feito. Pág. 91

Por que nos focamos em certas coisas em detrimento de outras? Estamos dispostos a arriscar nossas vidas para salvar alguém de um afogamento e, no entanto, não fazemos a doação que poderia salvar dúzias de crianças da fome. (...).
Pág. 113



–É inteiramente opcional- expliquei.-Que bom pra elas. Aqui vai uma coisinha para você pensar. Qualquer mulher que faça esse teste se sente feliz em ser tratada como um objeto. Você pode ate dizer que é escolha delas, mas se você gastar dois minutos para observar como a sociedade obriga as mulheres a pensar em si mesmas como objetos, talvez tenha uma ideia diferente. O que eu quero saber é você quer uma mulher que pense assim? É esse tipo de esposa que você quer? - Rosie parecia irritada - Sabe por que me visto deste jeito? Por que uso estes óculos? Porque não quero ser tratada como um objeto, Se você imaginasse o quão insultada estou por você ter achado que eu era uma candidata...Pág. 142

– Se você realmente ama uma pessoa – prosseguiu Cláudia –, deve estar preparado para aceitá-la como ela é. Você pode até esperar que um dia ela acorde e faça aquelas mudanças, mas pelos próprios motivos dela.Pág. 267








Postagens Relacionadas

0 comentários

Obrigado por comentar no blog!
Volte sempre!

Facebook

Twitter

Twitter